Série Chacras – 4º Chacra: Cardíaco (Anahata)

Esse chacra está localizado, como o próprio nome diz, na região do coração. Sua função é o Amor resultando em paz, sua cor é o verde e seu elemento é o Ar. (Para ver o artigo anterior, 3º chacra, clique aqui).

O quarto chacra está bem no centro de todos os outros fazendo uma ponte, ligando os chacras inferiores e os superiores. Ele é o nosso centro espiritual, o núcleo que une as forças de cima e de baixo, de dentro e de fora.

A tarefa desse chacra é integrar e equilibrar os diversos aspectos do nosso ser, dando assim ao nosso organismo um sentimento de totalidade. É dentro desse sentimento que está a semente da paz e do amor.

O amor que experimentamos no nível do chacra cardíaco é diferente do amor mais sexual e passional, que está ligado ao nível do 2º chacra.

No chacra cardíaco o amor não depende de estímulos externos, ele vem de dentro para fora, é experimentado primeiramente por nós mesmos, pois é um estado do ser. Através desse amor experimentamos a sensação de paz, felicidade, harmonia interior e plenitude. O amor do coração tem durabilidade eterna e constante.

O elemento que representa esse chacra é o Ar. Representa a abertura, a renovação, leveza, simplicidade, suavidade e a respiração. Fazemos a conexão entre o físico e o mental, nutrimos o nosso corpo, controlamos a mente e oxigenamos cada célula do nosso corpo.

Desequilíbrios do 4º Chacra


 

 

No corpo, esse chacra está associado ao plexo cardíaco. Ele controla o coração, os pulmões, sistema circulatório, mãos e a glândula Timo ( para saber mais sobre essa glândula da imunidade, clique em Timo ).  

Na nossa rotina, existe alguns comportamentos que podem gerar o desequilíbrio desse chacra que resultarão em doenças.

Sentimentos como: sentimentos reprimidos, tristeza, apatia, materialismo excessivo, falta de compreensão e de sensibilidade, excesso de apego por tudo, dores de perda e abandono, etc, resultarão no mau funcionamento desse chacra cardíaco.

Quando esses comportamentos são crônicos e a pessoa mostra uma tendência a estar vibrando sempre nesses aspectos citados, o indivíduo pode desenvolver doenças como:

Infartos, angina, taquicardia, paradas respiratórias, deficiência pulmonar, circulação precária, baixa imunidade, efizema pulmonar, câncer de mama, Lúpus, doenças do sangue em geral, doenças arteriais, gripes, asma, distúrbios pulmonares, pressão alta, etc.

Manter o equilíbrio é fundamental

 

 

 

Vimos que a função desse chacra é o Amor e seu elemento de correlação é o Ar. Com base nisso vemos a importância de amar incondicionalmente a tudo e a todos começando por nós mesmos com leveza, aceitação, alegria e paz interior.

Os nossos sentimentos, pensamentos e emoções afetam diretamente a esse chacra e consequentemente a glândula a qual está ligada, o Timo, que é a responsável pela nossa imunidade e bem-estar.

A autoaceitação  é a nossa melhor oportunidade de praticar o amor incondicional. Quando isso ocorre no coração, fica mais fácil aceitar os outros com suas falhas. Com aceitação e compaixão por nós mesmos, é mais fácil fazer transformações pessoais.

Abrir o chacra cardíaco expande o horizonte do indivíduo para compartilhar a energia do amor. Quanto maior a nossa compreensão, maior a capacidade de amar e de perdoar, de aceitar as situações e as pessoas como elas são. 

Quando nós nos fechamos, também reduz o que recebemos, ou seja, não doamos e nem recebemos amor suficiente, pois ao nos fechar, criamos uma barreira invisível com a intenção de separação. Não é benéfica a ninguém essa tática de isolamento.

 

Considerações finais

 

É muito comum ver pessoas que sofrem com desequilíbrios graves desse chacra, por situações que elas não conseguem largar, esquecer, digerir emocionalmente falando e seja de forma consciente ou inconsciente, o estrago será garantido.

Solte toda a mágoa, rancor, dor de pesar, ressentimentos e tudo aquilo que possa estar causando peso em seu coração. Dê o perdão se for o caso. Muitas pessoas não perdoam a outras como forma de punição, achando que isso será uma forma de “castigo para a outra pessoa”, mas quem está tomando o veneno da amargura é ela própria.

Muitas pessoas tem dificuldade de perdoar até a si mesmas e se punem intimamente. Se liberte de toda e qualquer emoção de tristeza, remorso, ressentimento, pois do contrário, criará tudo de ruim para a sua realidade física.

O direito desse chacra é AMAR. Ame incondicionalmente, primeiramente a você mesmo. Se aceite com os seus defeitos, falhas e com suas qualidades também. Tudo o que você fez até hoje, foi acreditando que estava fazendo certo.

Viva em paz com o seu corpo, com a sua maneira de ser, com o seu Eu interior, pratique a aceitação. Não me refiro a aceitar uma situação ruim ou alguma coisa que você possa mudar, simplesmente por fazer corpo mole, usando isso como desculpa para não agir.

Apenas não se torture achando que algo deveria ser assim ou assado, ou por se punir constantemente, sendo rígido demais consigo mesmo.  Tudo é equilíbrio. Evite os extremos e busque o caminho do meio.

Faça o seu melhor, dê o melhor de si a você mesmo e aos outros e verá a alegria de viver em harmonia, paz, leveza, dando e recebendo amor puro e fraternal constantemente.

Namastê.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *