Nosso Universo Interior e Exterior

Nós  seres humanos temos diversas facetas que são responsáveis pelo equilíbrio geral das nossas vidas.

Nós não somos só o nosso corpo físico, existem outros aspectos mais sutis, mas que exercem uma grande influência sobre nós, são: o Mental, Emocional e Espiritual – podendo nos levar a um estado elevado de bem-estar e felicidade quando em equilíbrio ou ao contrário disso, o desânimo, apatia, depressão, confusão mental  e por aí vai.

Muitas vezes não paramos para pensar sobre isso e nem que eles possam afetar tanto assim a nossa vida. Todos esses aspectos interiores, são como pequenos mundos dentro de nós e cada um deles ( Físico / Mental / Emocional / Espiritual ) deve ser muito bem cuidado, alimentado e acarinhado.

Sentido da vida

Criamos a realidade que vivemos

 

A nossa realidade exterior  reflete aquilo que vai dentro de nós. Percebemos isso tanto no nosso físico como na nossa vida em diversos campos.

Se é uma realidade condizente com o que queremos, com o que desejamos então isso mostra um alinhamento da pessoa na sintonia certa, resultando naquilo que ela deseja. Se o que vemos, não é condizente com o que almejamos, então é preciso parar e pensar no que está desalinhado em nossas vidas.

O nosso físico (tanto em sentido corporal como bens materiais), nossa realidade exterior é o resultado final daquilo que vai dentro de nós.

Nós produzimos isso, conscientemente ou não, mas somos os responsáveis por esses resultados gostando ou não deles. T. Harv Eker  faz uma comparação para exemplificar isso, comparando-nos a uma árvore da vida.

Nessa árvore crescem frutos, os frutos da nossa vida. Se não estivermos satisfeitos com eles, se são pequenos demais ou não tão saborosos, o que nós tendemos a fazer? Focaremos mais ainda a nossa atenção e energia neles. Mas o que criou esse resultado, esses frutos? Foram as raízes que criaram eles, aquilo que está debaixo da terra criou o que está acima da terra.

Invisível x Visível

É o invisível que cria o visível. Não adianta mudar o “fruto” em si, pois ele já está lá, já existe e não há nada o que possamos fazer para mudar o seu gosto ou aparência. Mas se quisermos resultados diferentes (frutos melhores), precisamos fazer mudanças na parte que nós não vemos, na parte que está oculta, ou seja: na raiz dessa árvore.

Somente mudando o que vai lá dentro de nós é que começaremos a obter resultados diferentes no nosso exterior.  Resumindo, o nosso lado Mental, Emocional e Espiritual são as raízes (o invisível que cria o visível),  e o Físico são os frutos,  o resultado final daquilo que vai dentro de nós. Para mudarmos esses frutos, precisamos focar a nossa atenção e energia no que vai produzi-los, ou seja, o lado invisível, nossas raízes.

Dessa forma fica mais fácil entendermos que para obtermos bons resultados em qualquer área das nossas vidas, precisamos sim cuidar primeiramente de nós. De que forma você alimenta a sua mente? Você permite que ela se alimente de qualquer tipo de leitura, programas televisivos, ou conversas que não sejam apropriadas?

A ideia aqui não é empregar o moralismo e nem dar sermão. Mas é preciso estar atento  a que tipo de situações você se  expõe evitando fofocas, conversas à toa e até mesmo pessoas tóxicas que não contribuem em nada com o seu crescimento, pois isso mina as suas energias e não contribui em nada para a sua evolução  como ser humano.

Leitura edificante

Cuidando do campo sutil

 

O mesmo vale para os nossos três outros aspectos. Como você está cuidando do seu emocional, do seu lado espiritual e do seu físico? Pode parecer estranho, mas esses primeiros aspectos citados também precisam ser alimentados e cuidados.

Estar atento ao que pensamos e sentimos pode ajudar muito no equilíbrio do lado emocional. Devemos ser senhores das nossas emoções não permitindo que elas nos governem a seu bel prazer.

É claro que não conseguimos estar bem o tempo todo, mas devemos deixar vir a emoção e também permitir que ela vá embora tão logo apareça e não ficar alimentando a raiva, o ódio, a tristeza e outras que não nos fazem bem. Dê vazão àqueles 5 minutos e chega.

O mais importante é perceber a emoção desqualificada e isso é fácil porque ela gera um mal-estar na pessoa. Logo, acalme-se, respire profundamente por algumas vezes e deixe-a ir embora. É mais ou menos como se você tivesse uma conversa com ela: “Ok, você veio me mostrar uma situação ruim, eu agradeço pelo aviso, mas eu não quero ficar com você”. “Eu escolho me sentir em paz”.

O lado espiritual nada mais é do que o seu “estado de espírito”.  Como anda o seu estado de espírito? Como você alimenta a sua alma?

Existem várias formas de fazer isso, algumas são amando e cuidando da natureza e dos animais, auxiliando ao nosso próximo, sendo tolerantes e respeitosos com as diferenças alheias, praticando o bem e a verdade que vai no seu coração. Leituras edificantes e  alguns audiobooks  contribuem para isso, assim como a meditação, oração ou até mesmo seguir a alguma religião.

Igualmente importante é cuidarmos da moradia pessoal, ou seja, do nosso corpo. O corpo é o nosso templo, aonde quer que formos, ele estará sempre conosco.

Ter um corpo saudável, harmonioso, cheio de energia e vitalidade é fundamental para manter o nosso equilíbrio e bem-estar. Por isso é importante cuidar da qualidade e quantidade dos alimentos que se irá consumir. Priorize os alimentos naturais e saudáveis, evite os industrializados e fast-food. 

Dê o primeiro passo

 

Pode parecer muito para o momento, muita coisa para pensar e se antenar, mas basta apenas dar o primeiro passo. Quando nos propomos a fazer uma coisa e nos comprometemos de verdade com a mudança (seja ela qual for), basta dar o primeiro passo.

Não precisamos enxergar o caminho todo, apenas os primeiros metros e logo, esse caminho vai se descortinando em nossa frente tornando tudo mais fácil. Mas é preciso manter a consistência, persistir em alcançar as mudanças que desejamos para alcançar o equilíbrio entre o nosso interior e exterior.

O Universo sempre conspira a favor quando percebe que a pessoa está verdadeiramente empenhada na mudança. Mas o primeiro passo sempre deverá ser nosso.

Namastê!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *